Composição e Tradução em Latim

  • 021 Horas de duração
  • 46 Aulas
  • 12 Módulos
  • 15 meses de suporte
  • Certificado de conclusão
Parcele em 12x R$ 186,81 (ou R$ 1.860,00 à vista)
Comprar Agora Dê um passo adiante em sua carreira!
Aprendeu como autodidata inglês, francês, alemão, espanhol, italiano, latim, grego e hebraico. É professor de História e línguas estrangeiras, além de tradutor.
William Bottazzini

CURSO DE COMPOSIÇÃO E TRADUÇÃO EM LATIM com o Prof. Matheus Knispel da Costa e coordenado pelo Prof. William Bottazzini

O curso:

Este curso de composição e tradução em latim visa a dar ao estudante uma maior consciência dos fatos da língua latina, ampliando o seu domínio dos instrumentos que autores clássicos como Cícero e César utilizaram na composição de suas obras. Para tanto, recorreremos a exercícios utilizados com enorme sucesso há séculos, indo gradualmente da palavra e da sua formação até a organização dos períodos no texto, de modo a compreendermos textos latinos, sobretudo clássicos, da melhor maneira.

Pré-requisitos:

Conhecimento dos conteúdos relativos aos primeiros 27 capítulos do livro Familia Romana, de Hans Henning Ørberg (Roma: Edizioni Accademia Vivarium Novum, 2014), o que, alternativamente, equivale ao conhecimento da morfossintaxe e do vocabulário fundamental do latim (cf. o léxico frequencial de Cauquil e Guillaumin, Vocabulaire de base du latin: alphabétique, fréquentiel, étymologique. Besançon: ARELAB, 1984).

Teoria:

O caráter da língua latina. Suas virtudes e seus vícios

A concatenação dos enunciados no período latino

A concretude da expressão latina. Palavras e conceitos

Formas compostas. Expressões indiretas e complexas

A colocação das palavras no enunciado latino

A colocação dos enunciados no período latino

A métrica latina. A música. Prosódia, escansão, composição

Prática:

Descrição de imagens. Contextualização do vocabulário

Composição a partir de imagens. Motus e status na composição

O summarium. Redução de um texto às suas ideias principais

O commentarium. Observações sobre um texto

As glossae. Explicação de palavras ou passagens de um texto

A Amplificatio. Desenvolvimento de um texto simples

Transformação de textos. Prosificação de versos e outros processos

Improvisação a partir temas ou grupos de palavras

A Varietas. Alternativas morfossintáticas, sinonímicas, fraseológicas e estilísticas à repetição

O Antibarbarus. Correção de textos pouco latinos

Versão de um texto do latim para o português

Retroversão da versão portuguesa de volta para o latim

Prof. Matheus Knispel da Costa é bacharel e mestre em Letras Cristãs e Clássicas pela Università Pontificia Salesiana e pela Accademia Vivarium Novum de Roma (Itália). Professor de latim em instituições de ensino de Porto Alegre e região, trabalha também na divulgação, no Brasil, da série didática "Lingua Latina per se Illustrata", de Hans Henning Ørberg.

15 meses Sem tempo para fazer o curso agora? Não tem problema.
Você poderá participar desse curso até 15 meses após a matrícula.

Interessados em tradução e composição latina e que já tenham conhecimento do idioma.

William Bottazzini
"Aprendeu como autodidata inglês, francês, alemão, espanhol, italiano, latim, grego e hebraico. É professor de História e línguas estrangeiras, além de tradutor."


Latim é a base do nosso idioma


Hoje gostaria de convidá-los a uma singela reflexão acerca de algumas coisas que perdemos, ou melhor, deixamos perder ao longo de algumas décadas em nome de inovações duvidosas e de posições subjetivistas que tendem, ao fim e ao cabo, a um individualismo crescente e patológico, que pretende transformar cada ser humano em uma ilha, como se a vida em sociedade não fosse um bem precioso, mas sim, no melhor estilo rousseauniano, um mal necessário.


Não que não deva haver mudanças e aperfeiçoamentos na sociedade. Ora, estes são indubitavelmente necessários e queridos em dadas circunstâncias. Contudo, não se pode simplesmente ejetar tesouros que serviram de molde para a formação de inúmeras coisas que tanto estimamos e que são indeléveis.


Dou-lhes um exemplo concreto de um desses tesouros desaparecidos: o estudo da língua latina. Não só o estudo, mas mesmo o interesse e a curiosidade pelo latim. Simplesmente esqueceu-se de que a língua dos antigos romanos, conquistadores do mundo, é simplesmente a base do nosso belo, porém intrincado, idioma português. A ignorância do latim faz com que nossos alunos de português sejam massacrados com regras e exceções que, a princípio, não fazem o menor sentido e que eles não terão a menor possibilidade, inclusive após os estudos universitários, de bem compreender e usar.


Afinal, por que o infinitivo do verbo é “ir” e em sua conjugação surge um “v” intrometido: eu vou, tu vais, ele vai...? Só o entende quem conhece os verbos “ire” e “vadere” latinos. Isso para não entrarmos em questões sintáticas (objetos, complementos, adjuntos e outros “monstros” do mesmo estilo) que são praticamente terras incógnitas para a maioria esmagadora dos que deixam o Ensino Médio. Tampouco mencionaremos a miséria etimológica e estilística em que vivemos.


Quem perde com a ausência do idioma do Lácio em nossos currículos? Todos. Sem ele, o português perde a sua lógica e se transforma em um amontoado de regras que nenhum mortal é capaz de domar. E qual o problema disso? O problema é que, sem o uso correto e coerente do idioma, o discurso torna-se frequentemente ilógico e desordenado. A concatenação das ideias fica perigosamente comprometida e perde-se facilmente o fio da meada. Não é, pois, sem razão, que os alunos tenham dificuldades enormes em compor uma redação coesa, com começo, meio e fim e que sejam incapazes de encadear corretamente uma argumentação filosófica, por exemplo. Necessitamos do aparato linguístico para a nossa expressão. Se este aparato encontrar-se deformado, nossa expressão também estará prejudicada.


Mas o latim não seria útil apenas para proporcionar melhor domínio do português. Ele é a porta que nos dá acesso a todo um mundo de cultura que enobreceu a civilização ocidental. Afinal, foi em latim que gênios das mais diversas áreas exprimiram-se. Para os poetas dignos desse título, o conhecimento das peças de Ovídio, Horácio e Virgílio é um imperativo; os cientistas, por sua vez, deverão recorrer sempre às leis de Newton, expostas em latim, no seu Principia Mathematica; os historiadores que quiserem conhecer a fundo a sociedade e a política de Roma - e de qualquer sociedade - deverão ler Suetônio, Tito Lívio e Tácito, para citar alguns. Também as maiores riquezas do cristianismo foram pensadas em latim e as encontramos nos textos de autores como Santo Agostinho e Santo Tomás de Aquino. Ademais, os católicos devem nutrir uma profundíssima reverência pelo latim, visto que esta é a língua oficial do Vaticano. Qual não é a emoção de recitar um Pater Noster (Pai-Nosso) conforme rezado pelos cristãos desde há dois mil anos e em todos os lugares? Não se trata de vaidade, e sim de colocar ambos os pés em uma tradição multissecular que une os cristãos de todos os tempos e povos. Também o mundo da Reforma deve muito ao latim, pois Lutero e Calvino, os principais reformadores, compuseram diversos textos na língua dos herdeiros de Rômulo e Remo.


Ademais, o latim seria uma resposta salutar a um mundo utilitarista que sempre pergunta: “Para que serve isso?”, como se as coisas apenas tivessem valor se trouxessem algum benefício material e imediato como contrapartida. Uma pessoa que estudar latim não terá seu salário aumentado abruptamente nem gozará de maior prestígio, mas possuirá seu espírito e inteligência enriquecidos e muito bem orientados com séculos de cultura de inestimável valor. Em suma, o latim nos ensina a simplesmente amar o saber pelo saber.


Por que não podemos cultivar e conservar as coisas mais belas já produzidas pelos mortais?



William Bottazzini Rezende é diretor acadêmico do Instituto Angelicum. Graduado em História pelo Centro Universitário Claretiano, aprendeu como autodidata inglês, francês, alemão, espanhol, italiano, latim, grego e hebraico. Há cerca de dez anos é professor de História e de línguas estrangeiras, além de tradutor de artigos e livros.


Você receberá um certificado digital ao final do curso.

Conteúdo Programático

  • 1. Composição Latina - Aula 01
  • 2. Composição Latina - Aula 02
  • 3. Composição Latina - Aula 03
  • 4. Composição Latina - Aula 04
  • 1. Composição Latina - Aula 05
  • 2. Composição Latina - Aula 06
  • 3. Composição Latina - Aula 07
  • 4. Composição Latina - Aula 08
  • 1. Composição Latina - Aula 09
  • 2. Composição Latina - Aula 10
  • 3. Composição Latina - Aula 11
  • 4. Composição Latina - Aula 12
  • 1. Composição Latina - Aula 13
  • 2. Composição Latina - Aula 14
  • 3. Composição Latina - Aula 15
  • 4. Composição Latina - Aula 16
  • 1. Composição Latina - Aula 17
  • 2. Composição Latina - Aula 18
  • 3. Composição Latina - Aula 19
  • 4. Composição Latina - Aula 20
  • 1. Composição Latina - Aula 21
  • 2. Composição Latina - Aula 22
  • 3. Composição Latina - Aula 23
  • 4. Composição Latina - Aula 24
  • 1. Composição Latina - Aula 25
  • 2. Composição Latina - Aula 26
  • 3. Composição Latina - Aula 27
  • 4. Composição Latina - Aula 28
  • 1. Composição Latina - Aula 29
  • 2. Composição Latina - Aula 30
  • 3. Composição Latina - Aula 31
  • 4. Composição Latina - Aula 32
  • 1. Composição Latina - Aula 33
  • 2. Composição Latina - Aula 34
  • 3. Composição Latina - Aula 35
  • 4. Composição Latina - Aula 36
  • 1. Composição Latina - Aula 37
  • 2. Composição Latina - Aula 38
  • 3. Composição Latina - Aula 39
  • 4. Composição Latina - Aula 40
  • 1. Composição Latina - Aula 41
  • 2. Composição Latina - Aula 42
  • 3. Composição Latina - Aula 43
  • 4. Composição Latina - Aula 44
  • 1. Composição Latina - Aula 45
  • 2. Composição Latina - Aula 46

Cursos Relacionados

Conheça outros cursos que oferecemos para complementar seus estudos.

Voltar ao topo