Latim para Crianças Completo [Assinatura CPL]

  • 11 Alunos matriculados
  • 30 Horas de duração
  • 34 Aulas
  • 8 Módulos
  • Certificado de conclusão
ASSINE JÁ

Obtenha acesso a este e outros cursos

Aprendeu como autodidata inglês, francês, alemão, espanhol, italiano, latim, grego e hebraico. É professor de História e línguas estrangeiras, além de tradutor.
William Bottazzini

Com a presente iniciativa pedagógica, o Instituto Angelicum vem preencher importante lacuna no cenário do ensino de idiomas em nosso país: um curso de latim voltado especificamente a crianças e adolescentes. O nosso intuito é oferecer aos alunos sólida base na aquisição dos fundamentos da língua de Cícero e Virgílio.


O material

Adotaremos a renomada obra de Paulo Rónai escrita especialmente para a referida faixa etária. Trata-se dos livros “Gradus Primus” e “Gradus Secundus”, facilmente encontráveis nas livrarias, a preços módicos. Os livros estão escritos em linguagem agradável e leve — sem deixar de explorar aspectos profundos da língua e de desenvolver a capacidade de compreensão textual dos alunos.

O curso

Os dois módulos do Curso de Latim para Crianças e Adolescentes receberão exatamente o nome das obras que o norteiam: “Gradus Primus” e “Gradus Secundus”. Na forma como está formatado, o aluno pode cumprir confortavelmente ambos os módulos, entre 12 e 24 meses.

Desenvolvido a partir de aulas gravadas, o curso poderá ser enriquecido com encontros ao vivo com o professor, que disponibilizará materiais e atividades complementares.


Benefícios do latim

Quanto mais cedo se iniciam os estudos de idiomas, melhores os resultados em longo prazo. Uma criança que tenha estudado latim sem dúvida terá os seguintes benefícios:

  • Aguçará a sua capacidade de concentração e de raciocínio lógico;

  • Aprimorará o seu domínio do português, erradicando dificuldades de compreensão da leitura;

  • Abrirá caminhos que tornarão suave o aprendizado de outros idiomas; e

  • Ampliará o seu conhecimento de cultura geral.

Pais e responsáveis que zelam pela boa formação dos seus filhos, não deixem de matriculá-los no Curso de Latim para Crianças e Adolescentes do Instituto Angelicum.

O Prof. William Bottazzini — que já ministra diversas turmas de latim e outros idiomas para adultos pelo Instituto Angelicum — espera por vocês.

O curso foi projetado para atender a quem tenha entre oito e treze anos. Mas crianças fora dessa faixa etária também podem matricular-se, desde que os pais ou responsáveis as julguem aptas a acompanhar o andamento das aulas.

William Bottazzini
"Aprendeu como autodidata inglês, francês, alemão, espanhol, italiano, latim, grego e hebraico. É professor de História e línguas estrangeiras, além de tradutor."


Latim é a base do nosso idioma


Hoje gostaria de convidá-los a uma singela reflexão acerca de algumas coisas que perdemos, ou melhor, deixamos perder ao longo de algumas décadas em nome de inovações duvidosas e de posições subjetivistas que tendem, ao fim e ao cabo, a um individualismo crescente e patológico, que pretende transformar cada ser humano em uma ilha, como se a vida em sociedade não fosse um bem precioso, mas sim, no melhor estilo rousseauniano, um mal necessário.


Não que não deva haver mudanças e aperfeiçoamentos na sociedade. Ora, estes são indubitavelmente necessários e queridos em dadas circunstâncias. Contudo, não se pode simplesmente ejetar tesouros que serviram de molde para a formação de inúmeras coisas que tanto estimamos e que são indeléveis.


Dou-lhes um exemplo concreto de um desses tesouros desaparecidos: o estudo da língua latina. Não só o estudo, mas mesmo o interesse e a curiosidade pelo latim. Simplesmente esqueceu-se de que a língua dos antigos romanos, conquistadores do mundo, é simplesmente a base do nosso belo, porém intrincado, idioma português. A ignorância do latim faz com que nossos alunos de português sejam massacrados com regras e exceções que, a princípio, não fazem o menor sentido e que eles não terão a menor possibilidade, inclusive após os estudos universitários, de bem compreender e usar.


Afinal, por que o infinitivo do verbo é “ir” e em sua conjugação surge um “v” intrometido: eu vou, tu vais, ele vai...? Só o entende quem conhece os verbos “ire” e “vadere” latinos. Isso para não entrarmos em questões sintáticas (objetos, complementos, adjuntos e outros “monstros” do mesmo estilo) que são praticamente terras incógnitas para a maioria esmagadora dos que deixam o Ensino Médio. Tampouco mencionaremos a miséria etimológica e estilística em que vivemos.


Quem perde com a ausência do idioma do Lácio em nossos currículos? Todos. Sem ele, o português perde a sua lógica e se transforma em um amontoado de regras que nenhum mortal é capaz de domar. E qual o problema disso? O problema é que, sem o uso correto e coerente do idioma, o discurso torna-se frequentemente ilógico e desordenado. A concatenação das ideias fica perigosamente comprometida e perde-se facilmente o fio da meada. Não é, pois, sem razão, que os alunos tenham dificuldades enormes em compor uma redação coesa, com começo, meio e fim e que sejam incapazes de encadear corretamente uma argumentação filosófica, por exemplo. Necessitamos do aparato linguístico para a nossa expressão. Se este aparato encontrar-se deformado, nossa expressão também estará prejudicada.


Mas o latim não seria útil apenas para proporcionar melhor domínio do português. Ele é a porta que nos dá acesso a todo um mundo de cultura que enobreceu a civilização ocidental. Afinal, foi em latim que gênios das mais diversas áreas exprimiram-se. Para os poetas dignos desse título, o conhecimento das peças de Ovídio, Horácio e Virgílio é um imperativo; os cientistas, por sua vez, deverão recorrer sempre às leis de Newton, expostas em latim, no seu Principia Mathematica; os historiadores que quiserem conhecer a fundo a sociedade e a política de Roma - e de qualquer sociedade - deverão ler Suetônio, Tito Lívio e Tácito, para citar alguns. Também as maiores riquezas do cristianismo foram pensadas em latim e as encontramos nos textos de autores como Santo Agostinho e Santo Tomás de Aquino. Ademais, os católicos devem nutrir uma profundíssima reverência pelo latim, visto que esta é a língua oficial do Vaticano. Qual não é a emoção de recitar um Pater Noster (Pai-Nosso) conforme rezado pelos cristãos desde há dois mil anos e em todos os lugares? Não se trata de vaidade, e sim de colocar ambos os pés em uma tradição multissecular que une os cristãos de todos os tempos e povos. Também o mundo da Reforma deve muito ao latim, pois Lutero e Calvino, os principais reformadores, compuseram diversos textos na língua dos herdeiros de Rômulo e Remo.


Ademais, o latim seria uma resposta salutar a um mundo utilitarista que sempre pergunta: “Para que serve isso?”, como se as coisas apenas tivessem valor se trouxessem algum benefício material e imediato como contrapartida. Uma pessoa que estudar latim não terá seu salário aumentado abruptamente nem gozará de maior prestígio, mas possuirá seu espírito e inteligência enriquecidos e muito bem orientados com séculos de cultura de inestimável valor. Em suma, o latim nos ensina a simplesmente amar o saber pelo saber.


Por que não podemos cultivar e conservar as coisas mais belas já produzidas pelos mortais?



William Bottazzini Rezende é diretor acadêmico do Instituto Angelicum. Graduado em História pelo Centro Universitário Claretiano, aprendeu como autodidata inglês, francês, alemão, espanhol, italiano, latim, grego e hebraico. Há cerca de dez anos é professor de História e de línguas estrangeiras, além de tradutor de artigos e livros.


Ao final do curso você receberá um certificado de conclusão.

Conteúdo Programático

No primeiro mês trabalharemos os capítulos 1 e 2.
  • 1. Latim para Crianças - Aula de Apresentação
  • 2. Latim para Crianças - Pronúncia
  • 3. Latim para Crianças - Capítulo 01
  • 4. Latim para Crianças - Capítulo 02
No segundo mês trabalharemos os capítulos 3 ao 6.
  • 1. Latim para crianças - Capítulo 03
  • 2. Latim para Crianças - Capítulo 04
  • 3. Latim para Crianças - Capítulo 05
  • 4. Latim para Crianças - Capítulo 06
No terceiro mês trabalharemos os capítulos 7 ao 10.
  • 1. Latim para Crianças - Capítulo 07
  • 2. Latim para Crianças - Capítulo 08
  • 3. Latim para Crianças - Capítulo 09
  • 4. Latim para Crianças - Capítulo 10
  • 5. Latim para Crianças - Capítulo 10 Correção
No quarto mês trabalharemos os capítulos 11 ao 14.
  • 1. Latim para Crianças - Capítulo 11
  • 2. Latim para Crianças - Capítulo 12
  • 3. Latim para Crianças - Capítulo 13
  • 4. Latim para Crianças - Capítulo 14
No quinto mês trabalharemos os capítulos 15 ao 18.
  • 1. Latim para Crianças - Capítulo 15
  • 2. Latim para Crianças - Capítulo 16
  • 3. Latim para Crianças - Capítulo 17
  • 4. Latim para Crianças - Capítulo 18
No sexto mês trabalharemos os capítulos 19 ao 22.
  • 1. Latim para Crianças - Capítulo 19
  • 2. Latim para Crianças - Capítulo 20
  • 3. Latim para Crianças - Capítulo 21
  • 4. Latim para Crianças - Capítulo 22
No sétimo mês trabalharemos os capítulos 23 ao 26.
  • 1. Latim para Crianças - Capítulo 23
  • 2. Latim para Crianças - Capítulo 24
  • 3. Latim para Crianças - Capítulo 25
  • 4. Latim para Crianças - Capítulo 26
No oitavo mês trabalharemos os capítulos 27 ao 30.
  • 1. Latim para Crianças - Capítulo 27
  • 2. Latim para Crianças - Capítulo 28
  • 3. Latim para Crianças - Capítulo 29
  • 4. Latim para Crianças - Capítulo 30
  • 5. Latim para Crianças - Capítulo 30 Correção
Voltar ao topo